Os bombeiros de Bragança dispõem desde hoje de um novo veículo e tripulação para o resgate de animais domésticos feridos ou mortos e para combate à vespa asiática, serviços “muito” solicitados pela população.

“Ao longo dos últimos tempos, temos tido várias solicitações das pessoas, em último caso socorrem-se dos bombeiros para as suas aflições. Quando tinham um animal ferido, atropelado ou morto no meio da estrada, entravam em contacto connosco e chegámos à conclusão de que tínhamos de criar um serviço permanente para dar respostas a estas ocorrências”, explicou à Lusa o comandante dos bombeiros de Bragança, José Fernandes.

A corporação de bombeiros adaptou com a “prata da casa” uma viatura todo-o-terreno já com alguns anos, dotada de todas as condições para as referidas operações e deu formação a equipas para emergência animal.

“Temos um lema: os animais para nós, também contam. Muitas vezes somos solicitados pelas pessoas para socorrer animais feridos ou levantar animais mortos que são vítima de atropelamentos ou outras circunstâncias”, concretizou o comandante.

Caso apareça um animal morto, as pessoas devem telefonar para a central dos bombeiros (273 304 200, disponível 24 horas por dia) e os animais são recolhidos com recurso à tripulação desta nova viatura.

“O animal morto é recolhido e colocado em arcas frigoríficas e depois é incinerado. Se o animal estiver ferido, é encaminhado para uma clínica veterinária que esteja em permanência também 24 horas por dia em Bragança, para ser tratado e depois entregue ao seu proprietário, ou então entregue num canil para adoção”, vincou.

A viatura está igualmente preparada para o combate à vespa asiática, que está a proliferar um pouco por toda a região, incluindo no concelho de Bragança.

“Esta é uma segunda valência desta nova viatura e respetivas tripulações porque têm aumentado os pedidos de apoio para exterminar os enxames de vespas asiáticas. Quando somos alertados para a existência de ninho destes insetos, procedemos à sua identificação, e depois são incinerados com recurso a equipamentos específicos que são transportados na viatura”, especificou José Fernandes.

ler mais