Com a atual situação pandemia, e com o confinamento em particular, é importante saber que cuidados devem ter os donos de animais de estimação para evitar contágios e para garantir a saúde e bem-estar do animal, e de toda a família.

A Dr. Bigodes, start-up portuguesa pioneira na prestação de serviços de veterinária ao domicílio, tem estado ao lado dos donos e animais de estimação desde o primeiro dia da pandemia e durante todo este período incerto que os portugueses atravessam. Agora, com novo confinamento em vigor, a clínica alerta para cuidados específicos a ter dentro e fora de casa por forma a evitar contágios indesejados e manter o bem-estar e a saúde física e mental do animal.

“Sabemos que os animais de estimação estão felizes por ter os seus donos em casa e também sabemos que são uma excelente companhia, motivo de distração e de atividade para os donos, especialmente para quem está sozinho em casa. Contudo, é necessário ter em atenção determinadas precauções para assegurar que os animais mantêm o seu bem-estar, por um lado, e que não são potencial foco de infeção para nenhum membro da família, por outro”, refere o veterinário fundador da Dr. Bigodes, Bruno Santos.

Apesar de a OMS ter declarado não haver evidências que demonstrem que os animais de estimação podem transmitir covid-19 aos humanos, a verdade é que eles circulam na rua, pelo que é importante que mantenha uma correta higiene dos mesmos para que não transportem para dentro de casa nenhum vírus indesejado.

Para evitar contágios, a Dr. Bigodes recomenda medidas simples como lavar as mãos antes e depois do passeio, manter uma distância de segurança de outras pessoas e animais nos passeios, bem como à chegada a casa, limpar as patas do animal com uma toalhita.

Deve-se ainda, evitar dormir com os animais de estimação no quarto ou na mesma cama e, no caso do dono estar infetado, este deve optar por reduzir ao máximo o contacto com o animal e, se possível, tentar que este seja tratado por outra pessoa;

“Por outro lado, temos a saúde física e mental do animal”, o veterinário. O ritmo da vida moderna nem sempre deixou tempo para nos dedicarmos aos nossos animais de estimação. Esta é uma boa altura para interagirmos mais com eles. Ganham eles, e ganhamos nós”.

Desta forma o adulto deve tentar manter uma rotina pois tal como os humanos, os animais precisam de rotinas, bem como continuar a manter uma alimentação equilibrada e não superalimente o animal já que, com menos exercício físico outdoor, é natural que ganhem algum peso prejudicial à sua saúde.

Para as pessoas que estão em teletrabalho e sentem que o seu animal de estimação interrompe constantemente – o seu gato anda em cima teclado, o cão faz barulho durante uma videoconferência ou chama a atenção de outra forma – , nestes casos deve-se garantir que, antes de começar a trabalhar, fez previamente exercícios com o seu animal e lhe deu comida e água.

A Dr. Bigodes alerta ainda para o facto de que é muito importante manter e cumprir rigorosamente os planos de saúde dos animais durante o confinamento e pandemia, apesar do receio de sair de casa.

 

Notícias relacionadas:

Governo está a estudar passagem da tutela dos animais domésticos

“Se já não há raiva em Portugal, porque sou obrigado a vacinar o meu cão?”

ler mais