Uma cobra pitão de 62 anos pôs sete ovos, apesar de não estar perto de um macho há mais de duas décadas e apesar de ter uma idade já avançada. O episódio teve lugar no Jardim Zoológico de Saint Louis, nos Estados Unidos e está a intrigar vários especialistas.

O responsável de herpetologia, especialidade da zoologia que estuda os répteis e os anfíbios, do zoológico diz que, apesar de invulgar, a situação não é impossível de todo. Em declarações à Associated Press, Mark Wenner explica que é possível que a espécie se reproduza de forma assexuada e que, por vezes, as serpentes armazenam esperma para adiar a fertilização.

Dos sete ovos postos pela cobra pitão, três permanecem numa incumbadora, dois foram utilizados para realizar testes genéticos e os outros dois não sobreviveram. Os ovos foram postos a 23 de julho e devem eclodir dentro de um mês. Os dois ovos recolhidos para testes genéticos irão provar se foram reproduzidos de forma sexuada ou não.

O que torna este nascimento tão invulgar, segundo Mark Wenner, é o facto de as cobras pitão normalmente deixam de pôr ovos muito antes de atingirem os 60 anos de idade. Esta é “definitivamente a cobra mais velha que conhecemos na história” a pôr ovos, disse o especialista. Esta cobra foi oferecida ao jardim zoológico em 1961 e é a mais velha a viver num jardim zoológico.

Para além desta cobra pitão, o zoológico tem ainda uma cobra pitão macho com cerca de 31 anos. Ambos fêmea e macho não estão expostos ao público.

AR/Público

ler mais