A Câmara Municipal de Ovar anunciou que irá distribuir mais de 605 mil euros em apoios à atividade de 100 associações locais de âmbito cultural, recreativo, social e de ajuda aos animais.

A medida verifica-se ao abrigo do Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo de Ovar e está organizada em três áreas:

  • 338 mil euros estão reservados para 67 coletividades de âmbito cultural e recreativo;
  • 234 mil serão repartidos por 31 associações de cariz social;
  • 33.500 euros ficarão afetos a entidades de apoio aos animais.

O presidente da Câmara de Ovar, Salvador Malheiro, justifica a estratégia com “o reconhecimento da importância, do esforço e do trabalho que o movimento associativo presta à comunidade” local.

O autarca social-democrata recorda que o seu executivo tem vindo “desde o primeiro mandato a incrementar consideravelmente os apoios às coletividades do concelho” e afirma que as verbas disponíveis para o efeito em 2019 representam agora “uma fase de consolidação” dessa política.

No caso das associações de âmbito cultural e recreativo, os 338 mil euros em causa vão apoiar atividades como as relacionadas com folclore, museologia, música e teatro.

Já no que se refere aos 234 mil euros para instituições de ação social, o montante visa comparticipar iniciativas de apoio à comunidade mais vulnerável do concelho.

Salvador Malheiro reconhece que o trabalho desenvolvido pelas 31 entidades com atuação nesse domínio é “determinante” para a população local, “em especial junto de quem mais precisa”.

Já os 23.500 euros anunciados para a proteção de animais serão repartidos por duas entidades: a MARANIMAIS – Movimento de Apoio e Reinserção de Animais, que irá receber 3.000 euros, e a APADO – Associação Protetora dos Animais Domésticos de Ovar, que vai obter 30.500.

O autarca ressalva, contudo, que, desses 30.500 euros atribuídos à APADO, 15.000 concernem a transferências ao abrigo da “Campanha de Apoio à Esterilização de Cães e Gatos” lançada pelo Governo, dado que ainda não existe na área de Ovar um Centro de Recolha Oficial de Animais de Companhia que assuma essa responsabilidade.

A autarquia já efetuou, por isso, as diligências necessárias para ser ressarcida dessa verba, uma vez que o Governo se comprometeu a assumir esse encargo até um máximo de 15.000 euros por município.

Lusa

ler mais