Cerca de 1700 espécimes correm um elevado risco de desaparecer até 2070 devido à ocupação humana dos seus habitats. Esta é a conclusão do estudo “Perda global de habitat e risco de extinção de vertebrados terrestres em cenários futuros de mudança do uso da terra” divulgado na revista científica Nature Climate Change. Os continentes considerados como críticos são a África, a América do Sul e o Sudeste Asiático.

A lista engloba 886 espécies de anfíbios, 436 espécies de aves e 376 espécies de mamíferos. O Oreophryne monticola (um anfíbio da Indonésia), o cobo-do-nilo (antílope do Sudão do Sul), o trepador-sobrancelha (ave do Brasil) e o joão-da-palha (ave do Brasil, Argentina e Uruguai) estão entre os milhares de espécies que poderão ver o seu habitat desaparecer nos próximos 50 anos.