O tribunal de Milimani ordenou o pagamento da indemnização por considerar que o hotel em que se encontrava a turista asiática de 28 anos, o Sun African Limited Hotel, foi responsável, por não ter garantido a segurança da sua cliente, de acordo com os media locais.

Luo Yi foi atacada em 21 de abril de 2013, enquanto caminhava para o seu quarto de hotel, à noite, uma versão que os proprietários do complexo contestam, afirmando que foi esta que provocou o animal enquanto tirava fotografias junto ao lago Naivasha, no sudoeste do Quénia.

A decisão surge depois de no passado mês de agosto, o turista Chang Ming Chuang, de 66 anos, ter também morrido após o ataque de um hipopótamo no lago Naivasha, enquanto fotografava.

O lago Naivasha, no sudoeste queniano, é povoado por importantes comunidades de hipopótamos e aves.

De acordo com o Serviço de Conservação da Fauna Queniana (KWS, na sigla em inglês), o número de cidadãos atacados por animais selvagens tem aumentado nos últimos anos, essencialmente por elefantes, búfalos e hipopótamos.

Os hipopótamos, por norma mais ativos à noite, podem ser afugentados com uma forte luz apontada aos olhos, embora sejam animais imprevisíveis e possam realizar investidas em vez de fugir.

LUSA

ler mais