Os investigadores do Conselho Superior de Investigação Científica espanhol concluíram que o aquecimento global afeta a vegetação de que os ursos se alimentam, que diminuirá nas zonas mais altas e levará os ursos a altitudes mais baixas e zonas habitadas, onde entrarão em conflito com as populações humanas.

Além disso, as mudanças na vegetação refletir-se-ão na abundância de bolotas que servem de alimento durante os meses de outono e inverno pode afetar a acumulação de gordura nos animais para a hibernação.

Menos bolotas disponíveis farão também aumentar a competição com outras espécies que as consomem, como os javalis.

Para conservar as populações de ursos pardos é preciso “um planeamento mais dinâmico dirigido também para a redução do impacto das alterações climáticas nos bosques da cordilheira Cantábrica”, referem os investigadores.

LUSA