É também nesta altura que se verifica o aumento do número do abandono dos animais, à semelhança do cenário preocupante que se vive nas férias do verão. Em comunicado, o ONDAID refere que as adoções não conscientes no Natal ” acabam por ter repercussões  nos meses subsequentes, em especial em janeiro e fevereiro, com a devolução dos animais nos abrigos onde foram recolhidos ou com o seu abandono nas ruas e, tratando-se de gatos,  em colónias de gatos silvestres”.

Posto isto, e de forma a contrariar esta realidade, a organização lançou uma campanha de sensibilização para a adoção consciente de animais de companhia no Natal, focando alguns aspetos que devem ser tidos em consideração antes de se adotar um animal e relembrando a importância de ser uma decisão tomada por toda a família.

“Pretende-se assim alertar para o facto de um animal de estimação jamais dever ser considerado um presente”, mas sim como um novo membro da família.

Vet-Online

 

ler mais