É esta a conclusão apresentada num livro lançado pela American Veterinary Medical Association (AVMA), que analisa as tendências da pose de animais neste país com dados relativos a 2016. Nesse ano, quase 57% de todos os lares norte-americanos tinham um animal de estimação.

Os cães lideram as preferências dos americanos, com aproximadamente 38% dos domicílios de todo o país a possuírem um ou mais cães, seguindo-se os gatos em 25% dos lares norte-americanos. O estudo concluiu também que houve um aumento na procura de animais de estimação menos convencionais, como lagartos, peixes, cobras, hamsters, aves, gado e anfíbios.

“Este é um fascinante olhar para o mundo dos animais de estimação, assim como para as pessoas e os veterinários que amam e cuidam deles”, disse o presidente da AVMA e médico veterinário, John de Jong, citado num comunicado emitido pela associação. “Examinar as tendências atuais na posse e cuidados com os animais fornece aos nossos membros informações que podem usar para melhor atender seus clientes e proteger a saúde e o bem-estar dos animais de estimação”, refere.

MS