Segundo o governante, que falava no Clube Naval de Vila Franca do Campo, na ilha de São Miguel, à margem da sessão de encerramento do SOS Cagarro, no Dia Nacional do Mar, desde o início desta iniciativa, em 1995, este é o quarto ano com o maior registo de quedas de cagarros juvenis no arquipélago.

Este ano, pela primeira vez, foram atribuídos os galardões Cagarro d’Ouro para distinguir os cidadãos e entidades que mais contribuem para o salvamento destas aves marinhas.

“Esta homenagem simbólica pretende agradecer o empenho e dedicação nesta campanha”, salientou Gui Menezes, citado numa nota do Gabinete de Apoio à Comunicação Social do Governo Regional.

Segundo o governante, foram atribuídos 24 prémios a entidades parceiras da campanha, a cidadãos ou grupos de cidadãos voluntários, a organizações não governamentais e a entidades privadas.

Na ilha de São Miguel, a PSP, a Associação Amigos dos Açores, a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) e Luís Noronha Botelho, que este ano salvou 85 cagarros, foram os homenageados.

A Campanha SOS Cagarro, criada em 1995, pretende sensibilizar a população dos Açores para a proteção dos cagarros juvenis, que durante os meses de outubro e novembro começam a abandonar os seus ninhos, mas que acabam por cair em terra, desorientados com a iluminação noturna.

A iniciativa, que envolve centenas de cidadãos e dezenas de entidades em todo o arquipélago, é, segundo Gui Menezes, a maior campanha de conservação da natureza e de educação ambiental do país.

LUSA

ler mais