Uma empresa que trabalha com DNA de cães chamada Embark, e que tem sedes em Boston e Nova Iorque, parece ter finalmente resolvido o maior mistério em torno dos huskies: os olhos azuis. A resposta está na duplicação do cromossoma 18, que está fortemente associada à cor dos olhos azul.

A Embark levou a cabo um estudo, em parceria com a Faculdade de Medicina Veterinária da Cornell University (em Nova Iorque, nos EUA), em os investigadores utilizaram um painel diversificado de 6.070 cães geneticamente testados, com proprietários que contribuíram com dados de fenótipo – características físicas dos cães – por meio de pesquisas na web e upload de fotos.

Os investigadores  descobriram que uma duplicação do cromossomo 18, perto do gene ALX4 – que desempenha um papel importante no desenvolvimento dos olhos dos mamíferos – estava fortemente associada à variação na cor dos olhos azuis, principalmente em huskies siberianos, mas também em pastores australianos, uma raça que também têm predisposição para ter olhos azuis.

Uma cópia da variante foi suficiente para causar olhos azuis ou heterocromia (um olho azul e outro castanho), embora alguns cães com a variante não tivessem olhos azuis. Portanto outros fatores genéticos ou ambientais podem estar envolvidos na determinação da cor dos olhos.

“Num único ano, recolhemos dados suficientes para realizar o maior estudo canino do género”, disse Aaron J. Sams, um dos principais autores do estudo, que foi publicado na revista PLOS Genetics

Vet Online

ler mais