Para assinalar esta data importante, a Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) promove o Open Day. “Convidamos todas as pessoas a conhecer o dia-a-dia de um veterinário, seja numa clínica, num centro de recolha municipal ou em laboratórios.  Organizámos uma rede que esteja aberta a acolher a sociedade em geral para que haja conhecimento de como é um dia no exercício da Medicina Veterinária”, explica a veterinária Sónia Miranda, da OMV, em declarações ao Vet-Online.

“O médico veterinário sempre teve um papel fundamental seja na área da saúde pública ou como clínico no atendimento e tratamento das doenças dos animais”, refere a especialista que considera que a forma como a sociedade passou a ver o animal inserido na comunidade contribui para os avanços na profissão.

Médica Veterinária, Sónia Miranda

Contudo, reconhece que existem desafios no processo de adaptação à sociedade: “Por vezes existe alguma incapacidade financeira associada aos cuidados dos animais. Sabemos que na Medicina humana temos o Sistema Nacional de Saúde, mas isso não acontece na Veterinária.  Há uma certa comparação e um mau entendimento sobre os valores que são cobrados, que na verdade correspondem ao preço da saúde. O médico veterinário sente-se injustiçado quando, de alguma forma, é visto como alguém que tem apenas o interesse financeiro na sua profissão. O que não é de todo verdade.”

Ainda assim, “a Medicina Veterinária evoluiu de uma forma impressionante nas últimas duas décadas”, sobretudo no desenvolvimento de “meios de diagnóstico”. “Se há anos atrás pudéssemos prever a quantidade de tomografias que hoje são realizadas, não iríamos supor que seriam tantas, ou prever a quantidade de pessoas que estão a exercer  numa determinada área específica como ortopedia, áreas da Medicina Interna, entre outras, que fazem com que a Medicina Veterinária progrida com uma força tremenda”, sublinha.

Este ano, a iniciativa do Open Day conta com o apoio da Direção Geral da Educação (DGE) que irá promover a participação dos alunos dos diferentes agrupamentos escolares. Ao nosso site, a veterinária Sónia Miranda avançou que as duas entidades estão a colaborar no sentido de incluir no plano curricular das escolas, no próximo ano, formação sobre animais: “Sempre defendemos que nas escolas seria fundamental existirem ações de formação cívica sobre o bem-estar do animal, sobre o animal inserido na sociedade, as visões dele enquanto alimento, enquanto animal de companhia e as responsabilidades sobre os animais sem dono”.

“A alteração de mentalidade faz com que a evolução da investigação em Medicina faça cada vez mais sentido”, conclui.

Vet-Online

ler mais